quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Força eletrostática transforma fitas em garra robótica

Por Inovação Tecnológica - 30/10/2014


Atração eletrostática
Agarrar e levar coisas de um lado para o outro, soltando-as de forma suave e com precisão, é uma das principais tarefas dos robôs industriais.
Para serem mais versáteis, é necessário projetar robôs que consigam agarrar objetos diferentes, dispensando a troca de ferramentas e garras.
Para isto já existem pinças robóticas feitas com pó de café e estão sendo testados tentáculos robóticos feitos com bexigas.
Pesquisadores do Laboratório SRI, nos Estados Unidos, decidiram apostar em uma versão de garra robótica igualmente suave, feita com fitas flexíveis que se amoldam à superfície de objetos de qualquer formato.
O segredo do agarramento é a atração eletrostática, a mesma exemplificada pelos professores de ciências em experimentos com pentes que atraem pedaços de papel ou bexigas que fazem os pêlos dos braços eriçarem.
Eletrodos energizados transferem a eletricidade estática para as fitas, que grudam nos objetos e, pela grande área de contato, permitem que esses objetos sejam erguidos.
Para soltar o objeto - e para evitar o acúmulo de carga ou a atração de pó para as pinças plásticas - o sistema usa uma corrente alternada.
A equipe do Dr. Harsha Prahlad já havia usado a eletroadesão para fazer um robô que sobe em qualquer superfície, mas agora ele pretende comercializar seu mecanismo robótico, o que fará através de sua empresa emergente, a Grabit.

Nenhum comentário:

Postar um comentário