Receba atualizações!!!



terça-feira, 30 de julho de 2019

Nova geração de gestores competentes e com foco na eficiência!

Estas habilidades estão sendo mais exigidas dos engenheiros civis

A retomada na construção civil aumenta a demanda por engenheiros capazes de tocar o dia a dia de uma obra sem perder o foco na eficiência

Por Instituto de Engenharia em 30/07/2019

Ana Paula Campos, gestora de canteiro de obras: engenheira civil, ela teve de desenvolver liderança e aprender sobre gestão de negócios (Alexandre Battibugli/VOCÊ S/A)
De 2014 para cá, o setor de construção civil encolheu 20,5%. Enquanto a crise fiscal derrubou investimentos em infraestrutura, a instabilidade econômica reduziu a compra de imóveis. Agora o segmento ensaia uma lenta retomada.
Nesse cenário de recuperação, uma profissão, em especial, vem ganhando notoriedade: a de gestor de canteiro de obras. Segundo levantamento do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), a ocupação está entre as 30 que terão maior relevância no futuro. Com a tecnologia facilitando o dia a dia das edificações, esse profissional está ganhando um papel cada vez mais estratégico.
Entre suas funções, por exemplo, estão o cronograma do projeto, o controle de custos, o gerenciamento da equipe, a logística de compra e entrega de materiais e a fiscalização das exigências de certificações de qualidade.
“Hoje as construtoras buscam engenheiros capazes de ir além dos números, com habilidade para se comunicar, trabalhar em equipe e planejar”, diz Alexandra Justo, responsável pela área de oportunidades de carreira do Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (Seesp).
Isis Borge, gerente sênior da divisão de engenharia e supply chain da consultoria Talenses, ressalta que a função se tornou mais complexa após a crise. “Esse profissional passou a responder pela rentabilidade e pelo planejamento estratégico por trás do empreendimento”, diz.
Com a reação da construção civil, ela acredita que haverá aumento da demanda por gestores de canteiro de obras, sobretudo fora dos grandes centros.
Ana Paula Campos Rios, de 29 anos, é gestora de obras de uma construtora no interior de São Paulo. Atualmente, coordena, em Pirassununga, a construção de um bairro planejado com ­1 000­ casas populares. São 200 pessoas, entre funcionários e terceirizados, sob seu comando.
“Tive de aprender a liderar e a melhorar o desempenho financeiro do negócio”, afirma. Para isso, investiu em uma pós-graduação em administração na Fundação Getulio Vargas. “Numa obra, você precisa tomar decisões assertivas. Quando surgem contratempos, a resposta deve ser rápida.”

segunda-feira, 29 de julho de 2019

Garantindo a qualidade do projeto com a melhoria contínua de processos

Garantindo a qualidade do projeto com a melhoria contínua de processos
Postado por: Lilian Treff em 23/jul/2018

Qualidade significa o quanto o projeto satisfaz as expectativas e atende aos requisitos do cliente.



Definição de Qualidade



Qualidade significa o quanto o projeto satisfaz as expectativas e atende aos requisitos do cliente. Muitas vezes o Projeto está de acordo com os requisitos levantados, mas não atende as expectativas de quem usará o Produto gerado pelo Projeto.

Desenvolvendo a garantia da qualidade
Executar a Garantia da Qualidade ou “Quality Assurance” significa garantir que o planejamento da qualidade está sendo cumprido. No processo de monitoramento e controle “Planejar Qualidade” é definido como processo que garantirá a entrega de produtos e serviços em conformidade com os requisitos solicitados.
Ademais, quando pensa dessa forma, fica muito mais fácil imaginar o que é Qualidade. Qualidade para quem? Essa é uma pergunta estratégica que dá sustentabilidade para todo processo de qualidade. Todo Sistema de Gestão da Qualidade busca intensificar o foco no cliente com o objetivo de aumentar sua satisfação. Isso tem que ficar muito claro para toda organização em tudo o que ela fizer, nas mínimas atividades. Os colaboradores devem saber da importância que possuem ao realizarem suas atividades, e como isso impacta na satisfação dos clientes.

INTRODUÇÃO

O Project Management Office – PMO tem como uma de suas atribuições, garantir a qualidade dos projetos durante o processo de monitoramento e controle, utilizando o Plano de Gerenciamento da Qualidade, além de verificar se o planejado está sendo executado, e os seus respectivos resultados, sem desvios e alterações no escopo, sugerindo, aplicando melhorias e solicitando alterações sempre que necessário. É importante criar um Painel de Controle de Projetos (Painel de Bordo), que contenha critérios e subcritérios de avaliação, e que gere um Mapa de Indicadores de Resolutividade (desempenho) e Efetividade (resultado), informando a Alta Administração sobre o status de cada projeto.

Executar o controle da qualidade (Grupo de Processos de Monitoramento e Controle)
O Controle da Qualidade é onde iremos testar e/ou verificar o produto gerado em nosso projeto e validar com as métricas de qualidade definidas no processo de gestão de projetos. Neste momento executaremos as verificações definidas no Plano de Gerenciamento da Qualidade com relação às atividades e orçamento planejados versus realizados, monitorando escopo, tempo e custo do projeto, e consequentemente melhorias deverão ser sugeridas sempre que identificadas. Ademais, conhecer o ponto de vista das partes interessadas (stakeholders) no projeto com relação à qualidade, ajudará a criar um plano de qualidade mais realista e eficiente. Além de, valorizar uma atitude preventiva com ações Sistemáticas e Planejadas de melhoria contínua.

Aplicando o ciclo PDCA garantindo a qualidade no Gerenciamento dos Projetos
O ciclo PDCA (Figura 1), ciclo de Shewhart ou ciclo de Deming, foi introduzido no Japão após a guerra, idealizado por Shewhart, na década de 20, e divulgado por Deming, em 1950, quem efetivamente o aplicou. O ciclo de Deming tem por princípio tornar mais claros e ágeis os processos envolvidos na execução da gestão, como, por exemplo, na gestão da qualidade, dividindo-a em quatro principais passos. O ciclo começa pelo Plan planejamento, em seguida Do à ação ou conjunto de ações planejadas são executadas, Check checa-se o que foi feito, se estava de acordo com o planejado, constantemente e repetidamente (ciclicamente) e Act toma-se uma ação para eliminar ou ao menos mitigar defeitos no produto ou na execução.

Como gerenciar para melhorar o resultado.


Figura 1- Gestão Pela Qualidade Total – Ciclo PDCA
Fonte: Deming, Willian Edwards, 2005 – Adaptado pela autora

Cabe ressaltar que, a tomada de decisão baseada em evidências, exige que o processo de monitoramento e medir os processos seja uma atividade que deva ser feita continuamente… por todos! Analisando evidências e números você verá o que está falhando ou o que não está dando o resultado que deveria dar.

CONSIDERAÇÕES GERAIS

Segundo Peter Drucker, “o que pode ser medido, pode ser melhorado”!
Cabe ressaltar que, uma das filosofias da Honda é: “um dos motivos pelos quais nossos clientes estão sempre satisfeitos é porque nós nunca estamos”.
Se você quer que o seu Sistema de Gestão da Qualidade cumpra o objetivo de satisfazer clientes, você precisa dormir e acordar pensando em melhorar. As melhorias são essenciais para conseguirmos gerir pessoas e processos, e consequentemente assegurar que o projeto satisfaça as necessidades do cliente e envolva todas atividades do projeto por todo o seu ciclo de vida.
Como promover Melhorias:
 Pré-disposição para Melhorias e Inovações;
 Fixação de Novas Metas (Desafios);
 Incorporação de Novas Tecnologias e Novos Métodos de Trabalho.
O PDCA se aplica geralmente quando há metas de melhorias, das quais é a melhor forma de gestão, de persistência nos resultados planejados. Uma vez atingidos esses resultados, deve-se revê-los, buscando melhoria contínua. O grande desafio é alinhar os Processos de Gerenciamento dos Projetos ao Ciclo PDCA, tornando-se assim, um poderoso e objetivo instrumento para a definição de metas; detalhamento do plano de ação; monitoramento e controle das atividades e orçamento planejados versus realizados, propondo ações corretivas e revisão periódica. Diante dessa proposição, se faz necessário a Implantação de Ritual de Análise Crítica de Desempenho e Resultados. Além de, corrigir o processo para manter o desempenho de produção aceitável, tem como foco assegurar a taxa de sucesso dos Projetos. Esse acompanhamento contínuo também possibilita a rápida identificação e correção de desvios, assim como a transformação das ações bem-sucedidas em procedimentos padrão.

Lilian Treff
Specialist in Project Management

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
COUTINHO, H. L. N. Gestão estratégica de projetos – Um aspecto crítico na execução da estratégia. Curitiba: Revista Mundo, 2006.
DRUCKER, P. Fator Humano e Desempenho. São Paulo: Pioneira, 1997.
JURAN, Joseph M. Juran na Liderança Pela Qualidade: um guia para executivos. 2ª ed. São Paulo: Pioneira, 1993.
KERZNER, H., Gestão de Projetos As Melhores Práticas. Porto Alegre. Bookman. 2002.
MARTINS, V. A.; MARTINS, M. R.. Competências organizacionais para Escritórios de Gerenciamento de Projetos (PMO): ensaio para um modelo de análise. 2005 (Seminários em Administração). Disponível em http://www.ead.fea.usp.br/emead/8semead/resultado/trabalhosPDF/361. pdf>.Acesso em 11/07/2007.
PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. Um Guia do Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos: Terceira edição – Guia PMBoK. 2004. Editora Project Management.
PRADO, Darci, Gerenciamento de Portfólios, Programas e Projetos nas Organizações, INDG.

PMI – Project Management Institute. A Guide to the Project Management Body of Knowledge (PMBOK® Guide). 5th ed. Pennsylvania: Project Management Institute Inc. 2013.

REBOUÇAS de oliveira, Djalma de Pinho, Administração de Processos: Conceitos, Metodologia, Práticas, Atlas

TREFF L, BATTISTELLA LR. Inovação em Gestão de Projetos na Administração Pública. Rio de Janeiro: Brasport, 2013

YIN, Robert K. Estudo de Caso – planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman,2001.

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Conheça a ponte sustentada por mãos gigantes no Vietnã

Postado por Instituto de Engenharia em 23 de agosto de 2018

Imagem: thespaces.com
Infelizmente, o que a maioria dos brasileiros sabe sobre o Vietnã está relacionado à guerra. Então, quando pensamos sobre o país, imaginamos um local destruído. Porém, o Vietnã é mais que isso e tem, inclusive, algumas obras de engenharia espetaculares. Uma das mais recentes é uma ponte sustentada por mãos gigantes.

+ A ponte sustentada por mãos gigantes

A mais de 1.400 metros acima do nível do mar, a Golden Brigde (ou Cau Vang, em vietnamita) dá a impressão de ser sustentada por mãos gigantes. Ela fica na região de Da Nang.
ponte sustentada por mãos gigantes
Imagem: reddit.com
Com 150 metros de comprimento, a ponte levou 1 ano para ficar pronta. O custo foi de, aproximadamente, 2 bilhões de dólares. A responsável por esse projeto um tanto curioso e criativo foi TA Landscape Architecture. Para completar o design, a passarela é dourada e há crisântemos espalhados pelo caminho.
ponte sustentada por mãos gigantes
Imagem: thepointsguy.com
Mas pode ficar tranquilo: não são só as duas mãos que sustentam a ponte. Há outras estruturas responsáveis por mantê-la de pé. Se, ainda assim, você ficou com medo de passear por ali, saiba que as grades de proteção não são retas como a de muitas passarelas que causam pesadelos em quem tem pavor de altura. Há um vão gradeado onde os crisântemos estão plantados que tornam mínima a chance de que algum desastrado caia acidentalmente, além de oferecerem uma sensação de segurança maior.
ponte sustentada por mãos gigantes
Imagem: livingspaces.net
De cima da Golden Brigde é possível ter uma vista incrível das Florestas de Ba Na. O objetivo da obra é atrair mais turistas para o país. Naquela região há vários parques, teleférico, museu de cera e outros atrativos.
ponte sustentada por mãos gigantes
Imagem: lonelyplanet.com

+ As pontes no Vietnã

A ponte sustentada por mãos gigantes não é a primeira ponte singular do país. Há alguns anos, na comemoração do 38º aniversário da libertação de Da Nang – cidade em que as tropas norte-americanas desembarcavam durante o período da Guerra do Vietnã – , foi inaugurada uma ponte em formato de dragão.
ponte sustentada por mãos gigantes
Imagem: wikipedia.org
A ponte dragão possui 666 metros de extensão e seis pistas. Ela tem como estrutura um arco de aço e liga o aeroporto de Da Nang ao lado ocidental da cidade. Para fazer jus ao design, a ponte conta com várias lâmpadas de LED que dão a impressão que o dragão, além de cuspir fogo, ainda tem o corpo em chamas. Porém, essa parte só pode ser vista durante a noite.
ponte sustentada por mãos gigantes
Imagem: colorkinetics.com
Referências: Design Boom; Bored PandaReuters.
Fonte Blog da Engenharia

Entenda a tragédia da queda da ponte Morandi, em Genova – Itália

Publicado por Instituto de Engenharia em 20 de agosto de 2018

+ A ponte Morandi

Gênova possui terreno acidentado, o que justifica os vários túneis e pontes espalhados pela cidade. Uma delas é a ponte Morandi, com 1,18km de extensão, que foi inaugurada em 1967, um período de crescimento econômico do país. Ela leva o nome do engenheiro civil que a projetou, Riccardo Morandi. Ele também era um dos mais visionários na área da arquitetura do século XX.
Pela ponte Morandi passa a rodovia A10, que liga o Norte da Itália ao Sul da França. Além de ser muito movimentada, ela era um importante ponto de ligação entre as regiões. Ali debaixo havia casas, empresas e indústrias.
Imagem: nytimes.com

+ A tragédia

Na manhã do dia 14 de Agosto, um trecho (entre 100 e 200 metros) da ponte Morandi desabou em Gênova, deixando, além de vários mortos e feridos, famílias desoladas e pessoas no mundo inteiro chocadas. Até o momento, foram 39 mortos. No intuito de encontrar sobreviventes entre os escombros, a equipe de busca e resgate está empregando as mesmas técnicas usadas para o caso de terremotos.
Imagem: bbc.com
O colapso ocorreu durante uma tempestade com ventos fortes. Algumas testemunhas ainda afirmaram ter visto raios na ponte. Vale lembrar que fortes ventos eram causa de queda de muitas pontes antigamente, mas esse não é mais um problema tão recorrente.
Imagem: cbc.ca
As investigações ainda devem durar alguns meses até que seja possível esclarecer o ocorrido. No entanto, uma das hipóteses gira sobre a vulnerabilidade da infraestrutura e do concreto armado usado na construção. Especula-se que o projeto não continha o cálculo do peso excessivo que os caminhões atuais transportam e que também não considerou o número de veículos em circulação atualmente. A manutenção, além de ser frequente, ainda possui um custo elevado.
Imagem: bbc.com
Outra vertente a ser considerada, além da falha de infraestrutura e das tempestades, é a erosão do solo na cidade, que é marítima. O ideal seria que a ponte fosse demolida ou reformada 50 anos após sua construção, o que não aconteceu, já que para substituir todas as pontes que deveriam ser substituídas no tempo correto gastaria, praticamente, uma fortuna.
Imagem: theguardian.com
No momento da queda do trecho, os veículos foram lançados 45 metros para baixo. Quem assistiu ao acidente afirma que  a cena parecia a de um apocalipse, como se uma bomba tivesse atingido a ponte, com várias pessoas correndo aterrorizadas. Veja um dos vídeos após o acidente.
https://youtu.be/_Pl0rsVdXxM

+ As pontes gêmeas

Em 1964, a Ponte General Rafael Urdaneta, na Venezuela, também projetada por Riccardo Morandi, teve um fim tão trágico quanto o da ponte Morandi. Elas são chamadas gêmeas ou irmãs porque possuem o mesmo estilo. Um petroleiro bateu em duas pilastras, o que ocasionou a queda de uma parte da ponte de 216 metros. O acidente ocasionou entre sete e oito mortes.

+ Prevenção e alertas

Embora tenha sido uma tragédia, a queda da ponte não foi um evento não esperado. Vários avisos foram feitos sobre o perigo que ela representava. Um deles foi do professor Antonio Brencich, do Departamento de Engenharia da Universidade de Gênova, que afirmou, em 2016, que aquela ponte era uma “falha de engenharia”. Após a queda, ele explicou que a ela possui cabos de aço, os quais estão envoltos em uma bainha que deveria ter o efeito de proteção. Porém, não é exatamente isso que acontece. É um tipo de recurso que o próprio projetista da ponte, Morandi, patenteou e, posteriormente, deixou de usar por não ser uma técnica efetiva.
Imagem: express.com.uk
Em 2016, a ponte passou por reformas e sua base estava, atualmente, em obra de reforço. A empresa responsável pela manutenção, Autostrade per l’Italia, afirmou que realizou vistorias e não encontrou nenhum sinal de problema antes do desabamento. O pior é que a Ponte Morandi não era a única que precisa de manutenção. Outros viadutos e túneis italianos – mais de 300 –  estão na mesma situação. Estima-se que, nos últimos 5 anos, dez pontes caíram no país. Felizmente, a maioria foi sem vítimas fatais.

+ A culpa

Em uma tragédia como esta, é até difícil falar em culpados. Dentre os cogitados pela mídia para assumir a responsabilidade estão a empresa de manutenção, a falta de liberação de verbas e outros. A questão política também está em jogo.
Como engenheiros(as)/futuros(as) engenheiros(as), nos resta pensar em uma questão que é fundamental: a segurança e o valor inestimável de uma vida. Precisamos trabalhar para sempre reduzir o risco ao máximo, afinal, a vida é algo precioso. Infelizmente, sempre vamos esbarrar em empecilhos, como a falta de verba, a falta de vontade, a burocracia, a disputa política e outros. Assim, nos resta refletir sobre uma frase de Brencich: “O colapso de uma ponte é o resultado de uma longa série de erros”.
Imagem: irishtimes.com
Fonte Blog da Engenharia

domingo, 11 de março de 2018

O mais alto edifício inclinado do mundo!!!!

 CAPITAL GATE BUILDING




Localizado em Abu Dhabi, com 160 metros de altura e 35 pavimentos, tem uma inclinação de 18 graus a oeste, quatro vezes maior que a da Torre de Pisa.

Para que haja equilíbrio da estrutura, o núcleo central do edifício se inclina na direção oposta.
A fundação é composta por um bloco de concreto de 7 metros de profundidade, com uma densa malha de aço, o trabalho principal de aço estrutural consumiu mais de 13 mil toneladas de material, além do revestimento de metal.

A ponte mais alta do mundo!!!!


Ponte Beipanjiang

Erguida sobre o vale de Beipangjiang, a construção fica a 565 metros do solo, o equivalente a um edifício de 200 andares, atravessa a garganta do rio Nizhu, tem 1.341 metros de extensão e conecta as províncias de Yunnan e Guizhou no sudoeste do país. A ponte de quatro pistas faz parte de uma rede de novas rodovias em torno de Yunnan e Guizhou que permite acesso através de terrenos acidentados que eram, até pouco tempo atrás, inacessíveis.

sexta-feira, 9 de março de 2018

Marina Bay Sands - A Beleza da Engenharia!


O Marina Bay Sands é um hotel e um dos principais casinos de Singapura, sendo desenvolvido por uma das maiores companhias de jogos de azar, a Las Vegas Sands em parceria com o arquiteto Moshe Safdie. A conclusão do empreendimento era esperada para 2009, mas acabou por se inaugurar em 2010. O Marina Bay ficou mundialmente famoso por uma das maiores piscinas infinitas do mundo, que se localiza no topo das torres do hotel.
#engenhariacivil