sábado, 6 de agosto de 2016


Esportes

Rio 2016: por dentro da tocha olímpica


Tocha olímpica tem sistema inédito – pela primeira vez o famoso símbolo terá movimento para receber a chama

Animação revela os mecanismos internos da tocha olímpica, que se abre para receber a chama

A TOCHA OLÍMPICA
63,5 cm
FECHADA
69 cm
ABERTA
Tocha olímpica tem sistema inédito – pela primeira vez o famoso símbolo terá movimento para receber a chama

O grande diferencial da tocha está no momento do “beijo” – quando uma tocha encosta na outra para transmitir a chama olímpica durante o revezamento. Nesse instante, a tocha ganha cores e movimento, chegando a ficar 6,5 centímetros mais alta. Confira detalhes de seu funcionamento no infográfico abaixo
Três níveis de proteção contra vento
Orifícios da chama piloto
Micro-orifícios de saída de gás da chama principal
Queimador

Elevação
Isolamento térmico
Estrutura externa e interna
A tocha é feita de alumínio reciclado
Elevação
Eixo de alumínio
Elevação
Pintura
Resina com verniz nas partes coloridas
Elevação
Elevação
Duto
O gás sobe liquefeito por um tubo bem fino chamado capilar e passa por uma estrutura designada regulador de pressão. Ela garante que o gás saia na pressão exata para produzir a chama na altura desejada, sem excesso de potência que possa aproximá-la do rosto das pessoas
Pistão de acionamento
da elevação
Quando acionada pelo “botão” abaixo, a mola empurra o eixo estrutural, abrindo a parte superior
Centro de gravidade
Fica bem próximo da pega, para que seja mais confortável e seguro conduzi-la, pois a distribuição correta de peso a equilibra
Mecanismo de travamento
da elevação
Acabamento
A tocha é acetinada e apresenta textura formada por uma malha com pequenos triângulos. A forma geométrica remete aos valores dos Jogos Olímpicos: excelência, amizade e respeito
Cilindro de gás liquefeito
Fica bem longe do queimador, para que um não interfira no outro e não gere riscos. Tem capacidade de manter a chama acesa em média por 18 minutos. Isso pode variar conforme a temperatura ambiente e a pressão atmosférica. Em lugares mais quentes ou altos o consumo é maior

Botão
Peso entre 1 e 1,5 kg
A manopla comanda tanto o sistema de elevação quanto o gás. Com a trava de segurança liberada, ao rotacionar 80 graus no sentido horário, a elevação da tocha para o “beijo” é liberada.

Rotacionando um pouco mais o gás é aberto para receber a chama. O gás é desligado girando a manopla no sentido anti-horário
CÂMARA DE COMBUSTÃO
Centenas de testes foram feitos para simular condições adversas que a tocha poderia enfrentar, como ventos de intensidade moderada e chuva. Para evitar que a chama se apague, a tocha é desenvolvida, testada e aprovada em um túnel de vento a 120 km/h, o que dá uma boa folga para que resista às condições normais do revezamento
Chamas piloto (4): azul

Chama principal: amarela

O queimador é construído de forma que a chama saia necessariamente para cima. A relação entre as aberturas superiores e as inferiores garante isso, de modo que as inferiores permitem a entrada de oxigênio.
REVEZAMENTO DA TOCHA
O condutor recebe um breve treinamento sobre como manipular a tocha sem riscos - por exemplo, pessoas com cabelos compridos são instruídas a prendê-los. Também há uma trava de segurança que impede a remoção do cilindro de gás e o acesso ao interior da tocha
Quando um condutor passa a chama adiante, sua tocha é imediatamente apagada e recolhida pela equipe do revezamento. Ela retira o gás que ainda houver, aciona a trava de segurança da manopla e disponibiliza a tocha livre de combustíveis
Em condições meteorológicas mais severas, tais como furacões, o revezamento é suspenso temporariamente para garantir a segurança de todos, não apenas para proteger a chama

Nenhum comentário:

Postar um comentário