segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Conheça o avião que viajará a qualquer lugar em quatro horas

Postado por: Indústria Hoje em: 17, dez, 2014


São Paulo – Uma empresa britânica está desenvolvendo uma nova tecnologia que promete revolucionar as viagens aéreas (principalmente as espaciais). De acordo com a Reaction Engines, seus aviões serão capazes de viajar a qualquer lugar do mundo em apenas quatro horas. Além disso, a empresa afirma que com a tecnologia será possível fazer voos espaciais com custo mais baixo do que é possível hoje.
Isso será graças a uma tecnologia que a Reaction Engines batizou de Sabre em suas turbinas. Com ela, aviões devem ser capazes de atingir velocidade Mach 5,5, ou seja, viajarão a mais de cinco vezes a velocidade do som – o equivalente a 6,7 mil quilômetros por hora.
Um um vídeo (no final deste texto, em inglês), o engenheiro chefe da empresa, Alan Bond, explica o que permite o Skylon (o avião da empresa) atingir essa velocidade. Basicamente, o grande trunfo é a capacidade de resfriar o ar.
Mais de 1,250 toneladas de ar atmosférico são capturadas pelas turbinas do Skylon enquanto ele voa. Com a tecnologia “precooler”, o ar dentro das turbinas é esfriado de uma temperatura de mil graus Celsius para -150 graus. Isso permite que o sistema funcione com um poder muito mais alto do que acontece hoje sem que a turbina sofra com altas temperaturas.
Com isso, uma velocidade muito mais alta pode ser alcançada. A empresa afirma que isso possibilitaria viajar entre pontos distantes do planeta em apenas quatro horas.
Inicialmente a empresa trabalha com a turbina em um avião não tripulado para transporte de cargas espaciais. Uma versão do avião para transporte de passageiros está em desenvolvimento.
Uma parceria com a Agência Espacial Europeia está trabalhando para deixar a tecnologia economicamente viável. Por enquanto, eles trabalham com um jato com capacidade para 300 passageiros. De acordo com a empresa, um número menor deixaria o projeto inviável por conta do preço por passageiro.
O Skylon e sua tecnologia ainda estão em desenvolvimento e testes. A previsão é que eles possam ser usados comercialmente a partir de 2019.
https://www.youtube.com/watch?v=yLD1TPsEi3E

Nenhum comentário:

Postar um comentário