domingo, 15 de maio de 2016

Casa Brutale será construída graças ao poder da internet

Publicado por Archdaily


    07:00 - 14 Maio, 2016 
  • por 
  •  
  • Traduzido por Camilla Sbeghen
Casa Brutale será construída graças ao poder da internet, Cortesia de OPA
Quando publicamos o artigo Vivendo no limite com a Casa Brutale, em julho do ano passado, esperávamos que fosse uma matéria popular em nosso site, mas nunca imaginamos que estaria entre os primeiros lugares no ranking de artigos mais lidos de 2015. No entanto, o que aconteceu depois foi ainda mais surpreendente. Até o final daquela semana, o projeto havia sido publicado por uma série de mídias não relacionadas diretamente com a arquitetura, como por exemplo o YahooCNET e CNBC.
Apesar de ser muio atraente, com aspectos que tangem o impossível, o projeto parecia estar destinado a permanecer no papel. Entretanto, muito rapidamente o projeto encontrou um cliente e está a ponto de ter sua obra iniciada. Mas o que é necessário para um projeto viral se tornar uma construção real?
Cortesia de OPA
A Casa Brutale foi concebida como uma 'Casa Malaparte' invertida, uma homenagem aobrutalismo, esculpida no limite físico de um penhasco. Nas palavras de seus criadores, "é uma declaração da simplicidade e harmonia da arquitetura contemporânea". De acordo com o sócio fundador da OPA, Laertis-Antonios Ando Vassiliou, o objetivo da Casa Brutale, desde sua criação, era tornar-se um fenômeno viral:
"O projeto foi projetado em aproximadamente 4 meses (de março até julho de 2015) com o objetivo de 'parar a internet'. Queríamos criar sensações de todas as formas possíveis e, através desta casa, expor nossa plataforma, já que este projeto descreve completamente nossa estética e nossa filosofia de projeto."
Cortesia de OPA
O termo "parar  a internet" se tornou popular ao servir de título da capa de uma revista que mostrava Kim Kardashian voluptuosamente "photoshopada". Através de uma estrutura aparentemente impossível, a Casa Brutale conseguiu acabar com a internet  durante duas semanas. 
Neste ponto, a OPA reconheceu que levar o projeto da tela do computador ao penhasco exigiria um significativo talento de engenharia, e por isso, o escritório contatou a sede central da Arup em Londres, buscando conselhos para a construção da casa. Intrigados pela atenção das mídias e pela solidez do projeto, o escritório com sede em Amsterdã aceitou trabalhar com a OPA em todos os requerimentos de engenharia relacionados à construção de um penhasco, incluindo os serviços estruturais, instalações e geotécnica. 
Cortesia de OPA
Em agosto do ano passado, a OPA foi contactada por um estúdio cinematográfico independente que colabora com um canal global de documentários, que pediu para flimar o processo de construção da Casa Brutale se e quando encontrarem um cliente sério. Desde a publicação da proposta, a OPA recebeu centenas de e-mais de "empreendedores imobiliários, fundos de investimentos e potenciais clientes que estariam interessados em realizar o projeto. Mantivemos o contato com todos eles", explica Ando Vassilious. No final, não precisaram esperar muito - "recebemos um e-mail mais sério e ambicioso" - e no final de outubro, seu cliente foi até Amsterdã para reunir-se com a OPA e decidir o local do projeto: a borda de uma montanha no Líbano, de mais de 1600 metros de altura.
Cortesia de OPA
Na realidade, sem a reação viral causada pelo projeto, a Casa Brutale provavelmente não teria saído do papel. No início, a OPA havia contactado vários investidores na Grécia, que responderam que "só trabalhavam com arquitetos famosos". Foi aí que a OPA escolheu publicar o projeto on-line, algo que Ando Vassiliou reconhece como valioso, motivando outros arquitetos a aproveitarem a oportunidade de fazer o mesmo:
"Já que tivemos tanto êxito até agora, definitivamente incentivamos nossos colegas a seguirem o mesmo caminho: sonhem grande, projetem grande, publiquem  grande. Passamos por alguns períodos de desemprego e sabemos que a labuta diária não é das tarefas mais criativas. Ao buscar uma ideia viral, ao menos você fortalece suas habilidades e seu portfólio com projetos interessantes".
O êxito da Casa Brutale trouxe muitas novas oportunidades para a OPA: eles receberam convites para dois concursos fechados, incluindo um prêmio por seu projeto para o pavilhão da Comissão Europeia no Mobile World Congress 2016, em Barcelona e atualmente estão trabalhando em projetos no Líbano, Tóquio e África do Sul. Além disso, apresentaram novas imagens se seu mais recente projeto da série em penhascos, Luz Aeterna, uma igreja cuja fachada frontal tem a forma de cruz. O tempo dirá se o edifício será recebido assim como a Casa Brutale, ou se o mercado para estruturas em penhascos chegou ao seu nível máximo de saturação.
Renders de Lux Aeterna, a igreja no penhasco de OPA. Imagem cortesia de OPA
Qual é a receita para conseguir isso? Os clientes e as pessoas não vinculadas à nossa disciplina parecem estar tendo cada vez mais poder sobre a arquitetura. A "arquitetura viral" não trata de arquitetos, mas de clientes, que parecem ter se dado conta do potencial da arquitetura como uma ferramenta de marketing. Isto pode se manifestar como material promocional para um evento ou instituição, como o já mencionado Mobile World Congress 2016 ou como um elemento de narcisismo.
Todo mundo quer se tornar viral. Está cada vez mais claro que a Internet é o lugar "onde a magia acontece". Podemos debater se por acaso isto é uma ofensa à integridade artística da arquitetura, mas para um escritório emergente que procura se destacar entre a multidão, não existe melhor caminho para o sucesso que através do amor das pessoas.

Como criar uma "Arquitetura Viral"

Cortesia de OPA
Para aqueles arquitetos que buscam um pouco de auto-promoção, por onde começar? Analisamos o nosso caso de estudo. O que foi feito exatamente para que a Casa Brutale se tornasse um fenômeno viral? A resposta está em como as pessoas utilizam a internet: da mesma maneira que os memes virais vão das páginas web até os boards do Pintereste contas do instagram, um projeto complexo pode ser reduzido a uma simples imagem. E com tanto conteúdo disponível, a imagem principal é frequentemente a única oportunidade de captar a atenção do espectador. Analisando atentamente esta única imagem, encontramo 5 razões claras pelas quais a Casa Brutale consegue tanto êxito onde outros falharam?
1. Um conceito simples e audacioso 
No acelerado mundo da Internet, há uma enorme quantidade de informação competindo por visibilidade e muito pouco tempo para encontrar as nuances. Para se destacar na multidão, um projeto deve ser radicalmente diferente e muito simples de entender. Este fenômeno pode ser visto na arquitetura esquemática de escritórios como o BIG, onde cada projeto se associa a um ícone pré-determinado e um apelido. A Casa Brutale é clara em seu conceito (um casa em um penhasco) e não foge dele associando-se a outras imagens. 
2. Um local espetacular mas não específico
A Casa Brutale só pode estar localizada em um penhasco, mas fora isso, em que parte do mundo se encontra? Pergunte a 10 pessoas diferentes onde ela poderia estar, e terás 10 respostas diferentes. Isto permite que as pessoas imaginem a casa em seus próprios contextos. No caso em questão, a proposta original menciona um local na Grécia, mas a edificação será construída no Líbano.
3. Contraste visual e sensorial
Uma das características essenciais da Casa Brutale é sua piscina no terraço, rodeada de nada além de um entorno seco. Este truque atrai tanto visualmente - um oásis azul em um mar marrom - como sensorialmente, acalmando a repentina sede dos espectadores. Além disso, quase todo mundo sonha em ter, algum dia, sua própria piscina privada. 
4. Não temer a polêmica
Podendo ou não ser realmente classificada como brutalista, a casa é apresentada em um estilo frio e calculista. Não é surpresa que muitos autores a tenham comparado a um cenário dos filmes do James Bond. E embora isso certamente contribua para a "aura" da casa, também provocou muitas reações negativas entre críticos, jornalistas e leitores.
5. Confir em seu instinto
O popular está mudando constantemente e as diferenças entre um hit viral e um fracasso são geralmente muito sutis. Projetos que são virais parecem aproveitar o espírito público de uma maneira única, seja através do uso de um novo material ou um projeto de engenharia ousado. Para ser viral, um projeto deve indicar que está aprendendo e respondendo ao que é popular.
Fica a dúvida se dar poder aos internautas não instruídos em arquitetura sobre o que é construído é bom ou não para o campo, no entanto, como a arquitetura evolui para manter-se em dia com as tendências, os arquitetos devem utilizar todas as ferramentas disponíveis para se fazerem notar. A Casa Brutale é um exemplo de um projeto conceitual que encontrou seu êxito através das suas intenções selvagens. Agora, a pergunta que fica é: o que se tornará viral no futuro?


Nenhum comentário:

Postar um comentário