sábado, 12 de março de 2016

Contrato para etapa final da obra de restauração da ponte Hercílio Luz, em Florianópolis, é assinado

Publicado por PiniWeb

Reforma da estrutura interditada desde 1991 deve ser concluída em 30 meses pelo Grupo Teixeira Duarte. Orçamento é de R$ 262 milhões

Luísa Cortés, do Portal PINIweb
11/Março/2016
 
Shutterstock
O Governo de Santa Catarina assinou na última quinta-feira (10) o contrato com o Grupo Teixeira Duarte para a última etapa do trabalho de restauração da ponte Hercílio Luz, interditada desde 1991 em Florianópolis. A fase final da obra está orçada em R$ 262 milhões e com prazo de execução de 30 meses, sendo que seu custo total original era de R$ 150 milhões. Os recursos integram o programa Pacto por Santa Catarina, do governo estadual.
O Grupo Teixeira Duarte, contratado para a finalização do processo de construção, teve dispensa de licitação. Isso porque a obra atende a requisitos como restauração de abjeto histórico de autenticidade certificada, segundo o procurador-geral do Estado, João dos Passos Martins Neto. A justificativa ainda se prolonga para a inviabilidade de competição, a natureza singular do serviço e a especialização da empresa contratada.
O secretário da Casa Civil, Nelson Serpa, alegou que, em dezembro de 2015, o governo apresentou a proposta de contratação direta do Grupo Teixeira Duarte para o Tribunal de Justiça, o Ministério Público do Estado, o Tribunal de Contas do Estado e a Assembleia Legislativa (Alesc). "Foram encaminhadas cópias da proposta com toda a fundamentação jurídica e informações sobre o orçamento para garantir a segurança necessária ao processo", afirmou.
Na ocasião, o governador Raimundo Colombo pronunciou-se em relação à ponte. "Trata-se de uma obra que nos desafia em todos os sentidos, uma obra que ficou muito tempo parada e que tem uma complexidade de engenharia talvez única no mundo. Mas vencemos os obstáculos burocráticos e financeiros e, agora, estamos otimistas com a conclusão dos trabalhos para a entrega da restauração, que ao mesmo tempo será um ganho em mobilidade e um ato de preservação do nosso patrimônio histórico", disse.
A Teixeira Duarte já fazia parte da construção da estrutura de sustentação da ponte pela Empa, empresa que integra o grupo. A etapa anterior foi terminada nesta semana, um mês antes do prazo previsto.
No processo, foi construída a ponte segura, composta por quatro torres ligadas por cinco treliças, formando uma complexa estrutura que sustentará a ponte durante o trabalho de restauração.
Como principais passos para a etapa final da obra, encontram-se Trabalhos preparatórios (montagem de canteiros e gruas), Reforço das fundações, Instalação de 54 macacos hidráulicos para transferência de carga (suspensão do vão central), Reforço da estrutura central da ponte, Montagem das novas barras de olhal, Transferência de carga definitiva (ponte volta a sustentar o próprio peso), Montagem de novo pavimento (pavimento rodoviário e ciclovia) e
Desmontagem da estrutura provisória - transferência de carga para a estrutura da ponte.
O Governo ainda lançou ontem o site www.pontehercilioluz.sc.gov.br, que trará informações sobre o andamento das tais obras de restauração.
A ponte
A Ponte Hercílio Luz foi inaugurada em 1926, e aberta ao tráfego total. Em 1982, foi completamente interditada, devido à deterioração das barras de olhal. Ela absorvia 43,8% do tráfego da cidade. Em 1988, voltou a ser liberada para pedestres, bicicletas, morros e veículos de tração animal, mas em 1991, foi novamente interditada, situação em que se encontra até hoje. A obra teve início em 2005. Em 2014, seu contrato foi rescindido e, em janeiro de 2015, a construtora Roca desistiu de assinar o contrato com o Governo. Chegou-se até a considerarque uma empresa estadunidense a conduzisse, mas a Empa foi a escolhida para dar continuação ao processo que se arrasta por mais de dez anos.
Leia mais sobre as questões técnicas da obra clicando aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário